4.6 A remuneração das mulheres

Há muitos anos as mulheres deixaram de ser minoria entre os titulados no Brasil, mas ainda não emergiu uma tendência de diminuição das diferenças de remuneração entre homens e mulheres mestres ou doutores.

O número de mulheres tituladas em programas de mestrado e de doutorado era tradicionalmente menor do que o de homens. Essa situação se inverteu, no caso dos mestres, a partir do ano de 1997 e, no caso dos doutores, depois do ano de 2003. Contudo, pelos dados de 2009 a 2017, não é possível perceber qualquer sinal de que poderia haver sequer uma tendência de diminuição das diferenças de remuneração entre homens e mulheres mestres ou doutores no Brasil (gráfico 4.8).

Em 2017, a remuneração média dos mestres era de R$ 12.768 para os homens e de R$ 9.383 para as mulheres. Para os doutores, as remunerações médias foram de R$ 17.481 e R$14.957, respectivamente, para homens e mulheres. A remuneração mensal média de mulheres era, portanto, 14% menor do que a de homens entre os mestres e 27% entre os doutores. Tais diferenças mantiveram-se praticamente estáveis no período 2009-2017 (gráfico 4.8).

Remuneração mensal média de mulheres e homens no Brasil, 2009-2017 (R$ de 2017)
© 2019-2021 CGEE - Centro de Gestão e Estudos Estratégicos