Apresentação

O objeto deste estudo é a formação e o emprego formal dos mestres e doutores titulados no Brasil.

Apesar de os indivíduos que contam com tais qualificações representarem uma parcela diminuta da força de trabalho total, eles são essenciais para a capacidade de qualquer país absorver, transformar e produzir conhecimentos, assim como gerar inovações. Além disso, eles são essenciais para a formação ou qualificação de outros recursos humanos. Por tudo isso, eles desempenham papéis vitais nos processos de aumento da produtividade e competividade da economia e de elevação da qualidade de vida dos cidadãos.

A pós-graduação brasileira já atingiu uma escala e um padrão de qualidade que a distingue entre as nações emergentes e que a fez reconhecida como um dos pontos fortes do nosso Sistema Nacional de Inovação1. A maturidade da pós-graduação brasileira e a integração dos profissionais que ela forma em todas as atividades econômicas e regiões do País ficam mais uma vez evidenciadas neste estudo, que atualiza e aprofunda os estudos iniciados pelo CGEE há cerca de 10 anos.

Este estudo sistematiza informações estatísticas sobre mestres e doutores que obtiveram seus títulos no Brasil entre os anos de 1996 e 2017. Também são apresentadas informações sobre as características do emprego formal no período 2009-2017 exercido pelos indivíduos que compõem a população formada pelos mestres e doutores titulados naquele período.

Os dados sobre a pós-graduação foram gerados a partir da Plataforma Sucupira, mantida pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) do Ministério da Educação (MEC). Já os dados sobre o emprego formal no Brasil provêm da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) coletados pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (ME). O CGEE é grato à CAPES e à Secretaria Especial de Previdência e Trabalho pela possibilidade de ter tido acesso às referidas bases de dados.

Além de apresentar os dados e as principais tendências recentes da formação e do emprego formal de mestres e doutores, esse estudo inova pela forma como disponibiliza seus resultados. Esses são disponibilizados online em formato que permite ao leitor explorar os dados e as tendências em profundidade por intermédio da leitura, visualização de seu conteúdo e da interação com seus gráficos. Também é possível ter acesso a todas as tabelas detalhadas que constituem a base desse estudo, assim como aos dados específicos que alimentaram a geração de cada um dos seus gráficos. Breves definições ou explicações de termos técnicos, que ajudam na correta interpretação dos dados apresentados e analisados no estudo, são apresentadas no glossário.

Em benefício das necessidades de, por um lado, disponibilizar rapidamente os resultados já desenvolvidos e, por outro, enriquecer o estudo com análises de temas adicionais, novas seções serão adicionadas posteriormente à página online deste estudo. Os leitores são convidados a voltarem a acessar essa página para terem a oportunidade de tomarem conhecimentos das novidades que ali serão acrescentadas.

É importante ainda realçar que este relatório trata especificamente do emprego formal de mestres e doutores. Essa é, de fato, a parcela mais importante do mercado de trabalho desses indivíduos, como poderá ser visto nos resultados apresentados nas próximas seções. No entanto, outras importantes formas de atuação profissional daqueles que detêm títulos de mestrado e doutorado carecem de informações sistematizadas, como sobre aqueles que são profissionais autônomos, pesquisadores bolsistas e empresários, por exemplo. Outros estudos estão sendo conduzidos pelo CGEE, com o objetivo de avançar na compreensão desse mercado de trabalho diversificado e em rápida transformação.

Esse trabalho é fruto de Contrato de Gestão do CGEE com o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).

Parceiros

Parceiros
1 Mazzucato, Mariana e Caetano Penna. (2016) The Brazilian Innovation System: A Mission-Oriented Policy Proposal, Brasília: CGEE, p. 56. https://www.cgee.org.br/the-brazilian-innovation-system
© 2019 CGEE - Centro de Gestão e Estudos Estratégicos